NEWLTEMBERGLETRAS


 

DE OLHO NAS REGRAS

 

USO DOS "POR QUE/ POR QUÊ /PORQUE / PORQUÊ

 

Por que

 O por que tem dois empregos diferenciados:

 Quando for a junção da preposição por + pronome interrogativo ou indefinido que, possuirá o significado de “por qual razão” ou “por qual motivo”:

 

Exemplos: Por que você não vai ao cinema? (por qual razão)

                Não sei por que não quero ir. (por qual motivo)

                Desejo saber por que você voltou tão tarde para casa.
                Por que você comprou este casaco?

 

Quando for a junção da preposição por + pronome relativo que, possuirá o significado de “pelo qual” e poderá ter as flexões: pela qual, pelos quais, pelas quais.

 

Exemplo: Sei bem por que motivo permaneci neste lugar. (pelo qual)

               São muitos lugares por que passamos. (pelos quais)

 

Por quê

Quando vier antes de um ponto, seja final, interrogativo, exclamação, o por quê deverá vir acentuado e continuará com o significado de “por qual motivo”, “por qual razão”.

Exemplos: Vocês não comeram tudo? Por quê? Andar cinco quilômetros, por quê? Vamos de carro.

 

                  Estudei bastante ontem à noite. Sabe por quê?
                  Será deselegante se você perguntar novamente por quê!

 

Porque

É conjunção causal ou explicativa, com valor aproximado de “pois”, “uma vez que”, “para que”.

Exemplos: Não fui ao cinema porque tenho que estudar para a prova. (pois) Não vá fazer intrigas porque prejudicará você mesmo. (uma vez que)

                 Vou ao supermercado porque não temos mais frutas.
                 Você veio até aqui porque não conseguiu telefonar?

 

Porquê

É substantivo e tem significado de “o motivo”, “a razão”. Vem acompanhado de artigo, pronome, adjetivo ou numeral.

Exemplos: O porquê de não estar conversando é porque quero estar concentrada. (motivo) Diga-me um porquê para não fazer o que devo. (uma razão)

             Não consigo entender o porquê de sua ausência.
             Existem muitos porquês para justificar esta atitude.
             Você não vai à festa? Diga-me ao menos um porquê.

 

 

 

 SENÃO / SE NÃO ???

 

SENÃO é usado equivalendo a:

"do contrário" / "a não ser" / "mas sim"

 

Exemplo:           Saia daqui senão vai se molhar.

Substituindo.     Saia daqui "do contrário" vai se molhar.

 

 

Exemplo:           Não faz outra coisa senão reclamar.

 

Substituindo.     Não faz outra coisa a não ser reclamar.

 

 

Exemplo:           Não tive a intençao de exigir, senão de pedir.

 

Substituindo.     Não tive a intençao de exigir, mas sim de pedir.

 

SE NÃO é usado equivalendo a: "caso não"

 

 

Exemplo:           Esperarei mais um pouco, se não vier irei embora.

Substituindo.     Esperarei mais um pouco, caso não venha irei embora.

 

* não esqueça a concordãncia em algumas orações.

 

 HÁ / A ???

HÁ quando o verbo “haver” é impessoal, tem sentido de “existir” e é conjugado na terceira pessoa do singular.

Exemplo: Há um modo mais fácil de fazer essa massa de bolo.
                Existe um modo mais fácil de fazer essa massa de bolo.

 

Ainda como impessoal, o verbo “haver” é utilizado em expressões que indicam tempo decorrido, assim como o verbo “fazer”.

Exemplos: Há muito tempo não como esse bolo. Faz muito tempo que não como esse bolo.

 

Logo, para identificarmos se utilizaremos o “a” ou “há” substituímos por “faz” nas expressões indicativas de tempo. Se a substituição não alterar o sentido real da frase, emprega-se “há”.

 

Exemplos: Há cinco anos não escutava uma música como essa. Substituindo por faz: Faz cinco anos que não escutava uma música como essa.

 

ATENÇÃO!!!

Quando não for possível a conjugação do verbo “haver” nem no sentido de “existir”, nem de “tempo decorrido”, então, emprega-se “a”.

Exemplos: Daqui a pouco você poderá ir embora. Estamos a dez minutos de onde você está.

 

CUIDADO!!!  Não se usa “Há muitos anos atrás”, pois é redundante, pleonasmo. Não é necessário colocar “atrás”, uma vez que o verbo “haver” está no sentido de tempo decorrido.

 

 

Ainda como impessoal, o verbo “haver” é utilizado em expressões que indicam tempo decorrido, assim como o verbo “fazer”.

Exemplos: Há muito tempo não como esse bolo. Faz muito tempo que não como esse bolo.

 

Logo, para identificarmos se utilizaremos o “a” ou “há” substituímos por “faz” nas expressões indicativas de tempo. Se a substituição não alterar o sentido real da frase, emprega-se “há”.

 

Exemplos: Há cinco anos não escutava uma música como essa. Substituindo por faz: Faz cinco anos que não escutava uma música como essa.

 

ATENÇÃO!!!

Quando não for possível a conjugação do verbo “haver” nem no sentido de “existir”, nem de “tempo decorrido”, então, emprega-se “a”.

Exemplos: Daqui a pouco você poderá ir embora. Estamos a dez minutos de onde você está.

 

CUIDADO!!!  Não se usa “Há muitos anos atrás”, pois é redundante, pleonasmo. Não é necessário colocar “atrás”, uma vez que o verbo “haver” está no sentido de tempo decorrido.

 

 "MAU" ou "MAL"

MAU É um adjetivo; usado como contrário de bom.

Exemplos: - Eduardo é um mau garoto.

                    Ela está sempre de mau humor.

MAL Pode ser: - advérbio de modo: usado como contrário de bem. - substantivo: com sentido de doença, tristeza, desgraça, tragédia. - conjunção temporal: com o sentido de quando.

Exemplos:  - Ele dirige muito mal. (adv)

                   - Ela cantava mal. (adv.)

                   - Mal cheguei em casa, o telefone tocou (conj.)

                   - Mal me viu, começou a falar sobre o fato. (conj.)

                   - Seu mal não tem cura. (subst.)

                   - Deve-se evitar o mal. (subst.)